Simples e eficiente, Flu vence o Cruzeiro e assume a liderança

Com FH inspirado, Tricolor segura domínio do time mineiro e alcança primeira posição graças ao zagueiro Leandro Euzébio: 1 a 0, no Maracanã

Leandro Euzebio Muricy gol Fluminense

Pouco importa se o adversário dominou a partida, se o melhor em campo foi o goleiro ou se a estrela da companhia esteve irreconhecível. Para os 34.535 torcedores presentes no Maracanã na noite desta quinta-feira e outros tantos espalhados pelo Brasil, o que importa é que o Fluminense é o primeiro colocado do Brasileirão. Liderança alcançada com a vitória por 1 a 0 sobre o Cruzeiro, em partida válida pela décima rodada, um dia após o aniversário de 108 anos do clube.

Leandro Euzébio comemora o gol da vitória com Muricy Ramalho (Foto: Ag. Estado)

O gol aconteceu  em jogada de bola parada, uma das armas preferidas das equipes dirigidas por Muricy. Com uma cabeça certeira, Leandro Euzébio, aos nove do segundo tempo, foi o responsável por levar o Tricolor ao topo da tabela, com 22 pontos – o Corinthians tem 21. A última vez que o clube carioca tinha alcançado esta posição foi em 2006, na oitava rodada, após vencer clássico contra o Flamengo. Já o Cruzeiro, do ovacionado Cuca, perdeu a oportunidade de chegar ao G-4 e está em sexto, com 15.

Na próxima rodada, o Flu tem pela frente o clássico contra o Botafogo, domingo, às 18h30m (de Brasília), no Engenhão. Os cruzeirenses recebem o Grêmio, no Mineirão, no mesmo dia, às 16h.

Com Cuca ‘em casa’, Cruzeiro domina

Como de costume, a torcida do Fluminense recebeu a equipe no Maracanã com muita festa. Teve pó de arroz, parabéns pelo aniversário de 108 e aplausos para…o adversário? Isso mesmo. Técnico da arrancada que impediu o rebaixamento em 2009, Cuca foi tratado como ídolo, em campo e fora dele. Dos ex-comandados, muitos abraços. Da arquibancada, gritos de apoio. O resultado? O jogadores do Cruzeiro começaram a partida como se estivessem em casa e mandaram no primeiro tempo.

Ao contrário do que fez nas últimas partidas no Maracanã, contra Flamengo, Vitória e Prudente, o Tricolor encontrou um adversário que não lhe permitiu impor o ritmo de jogo nos minutos iniciais. Pelo contrário, o Cruzeiro, com avanços precisos e bom toque de bola, cadenciava a partida e contava com escapadas velozes de Rômulo e Gilberto.

A primeira boa chance dos mineiros aconteceu logo aos dois minutos, quando o estreante Rômulo, após lançamento longo, serviu Wellington Paulista. Livre, o atacante invadiu a área e chutou forte. Fernando Henrique salvou com o pé esquerdo. Mal na saída de bola, o Fluminense perdeu sua principal arma, as laterais, e não era feliz nas jogadas pelo meio. Tanto que só conseguiu ameaçar em bola parada.

Conca marcado por Gil e Fabrício tenta levar o Flu ao ataque no primeiro tempo (Foto: Reprodução)

Conca Fluminense x Cruzeiro

Aos sete, Conca cobrou falta na área, Fred disputou no alto com Caçapa e a bola sobrou para Gum. O zagueiro chutou forte, e Wellington Paulista salvou com a cabeça. O Cruzeiro, no entanto, seguia melhor em campo e levava perigo com triangulações pelas pontas.

Bastante participativo, Wellington Paulista voltou a aparecer bem no ataque aos 13, quando chutou para defesa de FH. No rebote, Gilberto chutou para fora. Novamente em lance de bola parada, o Flu deu o troco no minuto seguinte. Após escanteio, Leandro Euzébio cabeceou como manda o figurino, para o chão e no canto. Fábio voou e fez linda defesa.

Com Rodriguinho apagado e Fred irreconhecível, o Tricolor carioca não conseguia manter a bola no ataque e boas jogadas eram raras. Aos 23, após bom passe de Mariano, Diguinho foi quem apareceu bem na área, mas não alcançou a bola, que ficou com Fábio.

Logo na jogada seguinte, Fernando Henrique mais uma vez salvou o Fluminense. Gilberto descolou lindo passe de calcanhar para o ex-tricolor Everton. O volante girou, chutou forte e encontrou o goleiro. Diante da apatia do time, a torcida do Flu chamou pelo “time de guerreiros”. Não deu muito certo.

A melhor notícia a esta altura para o Flu foi a lesão de Gilberto, no tendão de Aquiles, aos 36, que fez com que ele desse lugar a Marquinhos Paraná. Foi quando a partida ficou mais equilibrada na (falta de) ação ofensiva. A única realmente perigosa foi protagonizada por Carlinhos, aos 44. Ele recebeu lançamento de Conca e encheu o pé de canhota. Fábio novamente se fez presente e impediu o gol.

Voo de Leandro Euzébio garante vitória e liderança

Na volta para o segundo tempo, o panorama foi o mesmo: a torcida do Fluminense cobrava a presença do time de guerreiros, o Cruzeiro dominava, perdia gols, e o Tricolor assustava em jogadas de bola parada. A diferença a favor dos cariocas foi a eficiência nas raras oportunidades.

Se aos três e aos sete minutos, Thiago Ribeiro e Wellington Paulista só ajudaram Fernando Henrique a fazer boas defesas e sair de campo consagrado, Leandro Euzébio se mandou para o ataque e abriu o placar. Aos nove, Conca cobrou escanteio com precisão, o zagueiro, quase na marca do pênalti, subiu mais alto que os adversários e testou firme no canto direito de Fábio: 1 a 0. Na comemoração, beijos no escudo e corrida na direção de Muricy.

No embalo, Alan quase ampliou em bonita jogada individual no minuto seguinte. O jovem se livrou de dois zagueiros e chutou colocado. Fábio fez a defesa. Em desvantagem e cansado, o Cruzeiro tinha maior posse de bola, mas criava pouco. Aos 17, Mariano perdeu a bola para Henrique no campo de defesa e o volante serviu Marquinhos Paraná, que chutou por cima do travessão.

Foi a última boa jogada ofensiva da partida. A partir daí, o que se viu foi um Fluminense seguro na defesa contra um Cruzeiro atordoado. Cenário perfeito para garantir o resultado e alegria dos torcedores, que deixaram o estádio gritando: “Olê, olê, líder, líder!”.

Fluminense 1 x 0 cruzeiro
Fernando Henrique, Gum, Leandro Euzébio e André Luis; Mariano, Diguinho, Diogo, Conca (Marquinho) e Carlinhos; Rodriguinho (Alan) e Fred. Fábio, Rômulo, Gil, Cláudio Caçapa e Diego Renan; Henrique, Fabrício (Robert), Everton (Reina) e Gilberto (Marquinhos Paraná); Wellington Paulista e Thiago Ribeiro.
Técnico: Muricy Ramalho Técnico: Cuca
Gols: Leandro Euzébio, aos nove minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: André Luis, Leandro Euzébio e Diguinho (Fluminense) Wellington Paulista, Gil, Marquinhos Paraná e Fabrício (Cruzeiro)
Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro. Data: 22/07/2010. Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF). Auxiliares: Roberto Braatz (FIFA-RS) e Ênio Ferreira de Carvalho (DF).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: