Palmeiras empata no fim, e Flu tem terceiro tropeço seguido no Maraca

No ‘até logo’ tricolor ao estádio, Ewerthon aos 48 minutos do segundo tempo decreta o 1 a 1. Diferença para o Corinthians é de quatro pontos

O Fluminense luta para manter o Maracanã aberto, mas a julgar pelos últimos resultados a diretoria deve repensar a decisão. Pela terceira vez consecutiva, o Tricolor tropeçou em seu palco principal. Em partida truncada e com pouquíssimas chances de gol, o Palmeiras repetiu os feitos de Vasco e São Paulo e segurou o líder do Brasileirão nesta quarta-feira com o empate por 1 a 1, pela 18ª rodada.

Com um gol de Emerson, o sexto em sete partidas do Sheik pelo clube, o Flu até parecia que ia se despedir do Maracanã, que fechará para obras para a Copa de 2014, com vitória. Entretanto, Ewerthon, aos 48 do segundo tempo, aproveitou buraco na defesa adversária e decretou a igualdade no placar.

Com o resultado, o Tricolor permanece na primeira posição, com 38 pontos, enquanto o Corinthians, que teve a partida contra o Vasco adiada para o dia 13 de outubro por conta das comemorações do centenário, tem 34. Já o Palmeiras de Felipão foi a 24 e pulou para a nona colocação.

No próximo domingo, o Tricolor encerra o primeiro turno contra o Guarani, às 16h (de Brasília), no Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, enquanto o Verdão recebe o Palmeiras, no mesmo dia e horário, no Pacaembu.

Preocupado em espantar de vez os tropeços dentro de casa e em se despedir com vitória do Maracanã, o Fluminense começou a partida imponente, tomando conta do meio-campo e com Deco e Conca em noite inspirada. O problema, no entanto, é que encontrou do outro lado um adversário quase todo atrás da linha da bola. Bem postado na defesa, o Palmeiras preocupava-se em marcar e apostar na velocidade de Valdivia e Kleber.

E a estratégia só não deu certo pelos inúmeros passes errados do chileno nos minutos iniciais. Sem espaço a partir da intermediária ofensiva, o Tricolor apelava para chutes de longe, como os de Thiaguinho e Emerson, aos seis e aos 11, e pouco assustava. Tanto que a primeira grande chance foi alviverde, aos 13.

Após colocar a bola entre as pernas de Edinho no meio-campo, Deco foi desarmado por Pierre e deu espaço para o contragolpe paulista. Marcos Assunção foi lançado com liberdade pela direita e cruzou na medida para Rivaldo cabecear com perigo. Fernando Henrique se recuperou da falha no fim de semana e fez boa defesa.

O susto, por sua vez, fez com que o Fluminense acordasse e jogasse com mais velocidade. Foi o suficiente para abrir o placar. Aos 15, Diogo encontrou Washington em boa condição na área. Livre para marcar, o Coração Valente se enrolou todo e foi desarmado. Mas a bola sobrou limpa para Conca, que chutou cruzado com força. No meio do caminho, Emerson dominou e chutou para fazer seu sexto gol em sete jogos pelo clube.

Mal no jogo, Valdivia tentou dar o troco dois minutos depois, mas parou em FH. Se o chileno jogava mal, o “português” do Flu fazia sua melhor exibição desde o retorno ao Brasil. Aos 23, Deco descolou bom passe para Conca, que bateu com força para defesa de Marcos. Com o luso-brasileiro ditando o ritmo do jogo, o Tricolor fazia a bola girar e dava poucos espaços na defesa.

Quando o Palmeiras conseguiu penetrar na área, Kleber até marcou o gol, aos 32, mas estava em impedimento. Foi um raro lance de perigo na primeira etapa onde Gum e Leandro Euzébio se destacaram. O segundo, por sinal, até se aventurou no ataque e deu início a boa jogada aos 46.

Depois de desarmar Kleber, Euzébio serviu Julio Cesar, que cruzou com precisão para Emerson. Da marca do pênalti, o Sheik dominou e concluiu rápido para tirar tinta da trave direita do Verdão no último bom lance do primeiro tempo.

Flu recua demais e sofre castigo no minuto final

Se no primeiro tempo as chances de gol foram raras, na volta do intervalo jogadas ofensivas se tornaram ainda mais escassas. Com maior volume de jogo, o Palmeiras esbarrava na própria ineficiência. A equipe paulista até chegava próximo da área, mas Kleber tentava resolver sozinho e desperdiçava a maioria dos lances.

Situação similar acontecia com o Fluminense, que mais uma vez não teve Washington em boa noite. Sendo assim, restavam as bolas paradas para as duas equipes. E neste quesito o Palmeiras tem um especialista de respeito: Marcos Assunção. Aos 16 e 22, o volante cobrou falta com perigo para boas defesas de Fernando Henrique.

Do lado tricolor, Conca foi o responsável por colocar a bola na cabeça de Washington, que desviou para fora. Foi quando o Palmeiras partiu para o tudo ou nada. Felipão trocou o sonolento Valdivia por Ewerthon, e tirou o zagueiro Fabrício para colocar o Luan, deixando a equipe com três atacantes.

A mudança fez efeito e o Palmeiras pressionou nos minutos finais. Na base do abafa, a equipe facilitou as ações de Fernando Henrique até os 45, com cruzamentos interceptados pelo goleiro. Mas um lance no minuto seguinte fez a diferença. Após saída de bola errada de Gum, Luan partiu em velocidade e foi parado com falta por Leandro Euzébio, que foi expulso.

Marcos Assunção cobrou falta na barreira, Washington desperdiçou excelente contra-ataque, e no último lance da partida Ewerthon aproveitou o espaço na defesa tricolor. Após lançamento longo, Edinho cabeceou para o meio da área, e o atacante empurrou para o fundo das redes: 1 a 1. Placar final.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: