Cheio de moral, Diego Cavalieri é apresentado pelo Fluminense

Goleiro chega com status de titular e solução para posição que mais gerou insatisfação dos torcedores nos últimos anos

O torcedor do Fluminense não contém a empolgação. Depois de anos de questionamento sobre os responsáveis pelo gol tricolor, o clube apresentou na tarde desta terça-feira, nas Laranjeiras, aquele que é apontado como solução para um velho problema: Diego Cavalieri. Aos 28 anos, o goleiro assinou contrato de três anos e vestiu a camisa do atual campeão brasileiro pela primeira vez, após duas temporadas e meia no futebol europeu.

Revelado pelo Palmeiras, clube que defendeu por 13 anos, Cavalieri não teve muito sucesso em sua passagem pelo Velho Continente. Pelo Liverpool (Inglaterra), foram dois anos e apenas dez exibições, enquanto no modesto Cesena (Itália) ele passou quatro meses sem sequer entrar em campo.

Em suas primeiras palavras como jogador tricolor, o goleiro garantiu estar pronto para entrar em campo já na primeira partida da temporada, contra o Bangu, dia 20, em Moça Bonita, pela primeira rodada da Taça Guanabara, e explicou o mau momento na Europa.

– Estou bem. Vivi dois anos e meio fora, sempre treinando. Primeiro no Liverpool, que tem um excelente goleiro, que é o Reina, e não tive muita oportunidades. Depois, fui para outro país e isso se repetiu, não joguei, além de ter tido um problema com o treinador, o que dificultou um pouco. Continuei trabalhando em busca da minha melhor performance. Chego bem, respeitando a todos, mas brigando pelo meu espaço. Fui muito bem recebido pelos companheiros e quero ajudar 100% o Fluminense.

Prestigiado em seu primeiro dia nas Laranjeiras, Cavalieri foi questionado até mesmo sobre a possibilidade de ser aproveitado por Mano Menezes na Seleção Brasileira, mas optou por um discurso pé no chão.

– Vamos por partes. Claro que o objetivo de todo atleta é a Seleção, mas o primeiro desejo é me adaptar o mais rápido possível ao novo clube, nova vida. É um ano importantíssimo para o Fluminense, com Libertadores… O que vier depois é consequência do trabalho em campo.

Entusiasmado com o primeiro contato com os novos companheiros, o jogador elogiou o ambiente no Flu. Ele aproveitou para falar também sobre a disputa com Ricardo Berna, que terminou o Brasileirão como dono da posição.

– De fora dava para ver que o ambiente no Fluminense é muito bom. Fui bem recebido. A torcida também fez espetáculos maravilhosos, incentiva, o treinador é excelente… Tudo influenciou na minha decisão. O Berna foi muito importante na reta final do Brasileirão. Já conversamos, e todos os goleiros me receberam muito bem.

Especulado em clubes como o Flamengo, o reforço tricolor garantiu que jamais abriu negociação com o rival do Tricolor.

– Me botaram em tanto time que nem teve conversa… O único clube com que conversei antes do Fluminense foi o Santos.

Com a chegada de Diego Cavalieri, o Fluminense passa a ter cinco goleiros em seu elenco: além do recém-contratado, Ricardo Berna, Kléver, Fernando Henrique e Rafael. Um dos dois últimos, porém, deve ser negociado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: